Ainda nenhum condutor ficou sem carta por pontos

Postado Mai 31, 2017

Mas a verdade é que nenhum condutor que tenha perdido sete ou mais pontos, escreve o Jornal de Notícias, fez a formação de segurança rodoviária obrigatória.

Por sua vez, os desastres registaram uma ligeira descida, avançando a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) que ocorreram 124.035 acidentes entre 1 de junho de 2016 e 27 de maio de 2017, menos 697 do que nos 12 meses anteriores.

"Os condutores só são notificados meses depois e, caso haja contestação, os processos podem arrastar-se por mais de um ano". E acrescenta, Trigoso: "Depois de um período em que houve uma melhoria [nas infrações], este ano estamos a piorar".

José Miguel Trigoso refere-se às estatísticas da sinistralidade nas estradas portugueses divulgadas em maio pela ANSR. Já o número de acidentes e de feridos desceram.

Depois da cassação do título, estes automobilistas vão ficar inibidos de conduzir durante dois anos e têm de tirar novamente a carta.

Já passaram 365 dias desde que o sistema de carta de condução por pontos foi posto em prática na regulamentação rodoviária em Portugal.

A ANSR adianta que as contraordenações graves e muito graves que mais têm contribuíram para a perda de pontos pelos condutores perderem são a passagem no traço contínuo, falta de paragem no sinal vermelho dos semáforos e nos sinais STOP, circulação em sentido proibido, condução com excesso de álcool e o uso do telemóvel durante a condução.