Marcelo pede consenso dos partidos sobre candidatura à Agência Europeia do Medicamento

Postado Junho 16, 2017

Defensores da inclusão das cidades do Porto e de Braga na corrida à sede deste organismo, que sairá de Londres por causa do Brexit, os dois membros do Parlamento Europeu estão a promover a petição online "Não ao Centralismo!" e vão desenvolver "diversos contactos institucionais" para contrariar um Executivo que acusam de "concentrar tudo em Lisboa" e de "ignorar a coesão territorial".

"O que posso pedir é os partidos estabilizem a opinião, cheguem ao acordo possível e depois remem todos na mesma direção, senão o que já é difícil torna-se impossível", frisou o chefe de Estado, à margem de cerimónia de homenagem à Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, com o título de membro honorário da Ordem de Mérito.

A "conveniência da proximidade do Infarmed" é outro dos fatores apontados por António Costa como justificação para candidatar Lisboa, e não o Porto, a acolher a sede da EMA que deve abandonar Londres com a saída do Reino Unido da UE.

Horas antes, em Ílhavo, Marcelo Rebelo de Sousa fizera já o apelo ao consenso em torno daquilo que "melhor realiza o interesse nacional", mas sem se referir diretamente à polémica em torno da localização da Agência Europeia do Medicamento.

No caso de Espanha, que está a candidatar Barcelona à EMA, Moreira notou que o país tem uma Escola Europeia em Alicante, localidade "que fica mais longe de Barcelona do que o Porto fica de Lisboa". "Ficar claro a que tem melhores hipóteses para ganhar e, depois, todos juntarem-se para que Portugal ganhe, porque isso é que é importante", vincou.

"É natural que os partidos mudem de opinião e tenham entretanto aparecido outras hipóteses no quadro da descentralização. Mas é preciso que, rapidamente, os partidos definam uma posição", avisou o PR.

Depois do debate, a versão final da proposta do PS, aprovada por unanimidade, prevê que, "desde que seja garantido que o Governo pode ainda rever a decisão tomada", seja criado "um grupo de trabalho encarregado de, no prazo máximo de 30 dias, elaborar um dossiê de candidatura do Porto ao acolhimento da sede da EMA, convidando para tal diversas entidades".

Recordamos que o Primeiro-ministro, António Costa, justificou a decisão de candidatar Lisboa para acolher a EMA por "ser fator de preferência a existência da Escola Europeia, que só Lisboa poderá vir a ter", bem como a "conveniência da proximidade do Infarmed".

O candidato do movimento 'Somos Coimbra' à autarquia, o ex-bastonário dos médicos José Manuel Silva, defendeu hoje a instalação do Infarmed e da Agência Europeia do Medicamento na cidade.

Na quarta-feira, o PSD questionou o Governo sobre as razões para candidatar Lisboa e "preterir outras cidades portuguesas", inquirindo se "alguma outra opção foi sequer considerada".

O Conselho de Ministros aprovou a 28 de abril a candidatura de Portugal a sede da Agência Europeia do Medicamento, e a resolução publicada a 05 de junho em Diário da República indica que o objetivo do Governo é instalar a EMA "na cidade de Lisboa".