Irão diz ter matado "grande número de terroristas" em bombardeamento

Postado Junho 20, 2017

"A Guarda Revolucionária do Irã anunciou a morte de um grande número de terroristas, após um ataque de mísseis iranianos em Deir Ezzor, na Síria", informou Tasnim News Agency.

Trata-se dos primeiros mísseis disparados pelo Irão para fora do seu território em 30 anos, desde a guerra Irão-Iraque (1980-1988), segundo a imprensa iraniana.

O ataque, realizado no sábado com o lançamento dos mísseis do território iraniano, foi em "represália" pelos atentados perpetrados no dia 7 de junho contra o Parlamento iraniano e contra o mausoléu do aiatolá Komeini em Teerã e que foram reivindicados pelo Estado Islâmico, anunciaram os Guardiães da Revolução, as forças de elite iranianas.

Algumas horas antes, o guia supremo iraniano, o 'ayatollah' Ali Khamenei, tinha prometido que o Irão iria "infligir um golpe aos seus inimigos", perante as famílias dos "mártires", nomeadamente dos mortos na Síria e no Iraque, segundo o texto publicado no site.

O Irã xiita é aliado da Síria há tempos nos combates contra os grupos fundamentalistas sunitas do Estado Islâmico, mas essa é a primeira vez que se sabe sobre um ataque iraniano com mísseis contra os extremistas no território sírio.

O ataque conta as bases terroristas na Síria seria uma retaliação aos ataques em Teerã, realizados na semana passada.

A televisão iraniana mostrou imagens que identificou como sendo as dos disparos dos mísseis.

No seu texto, o exército de elite iraniano emitiu um aviso aos "terroristas e seus protetores na região e fora da região".

As autoridades iranianas acusaram a Arábia Saudita, mas também os Estados Unidos, de apoiar os grupos 'jihadistas' que atuam contra o Irão.

O programa balístico do Irão tem vindo a ser alvo de críticas da comunidade internacional, que acusa o país de estar a "apoiar atos terroristas internacionais".

Teerã, por sua vez, denunciou na sexta-feira que essa votação era "totalmente ilegal e ilegítima".