Iberia multada por ter exigido testes de gravidez a candidatas a emprego

Postado Julho 11, 2017

Vários órgãos de comunicação dão conta do sancionamento da Iberia pela Inspecção Geral do Trabalho espanhola, uma vez que cometia uma infracção "muito grave", por discriminação sexual, ao exigir testes de gravidez no processo de selecção das assistentestes de bordo.

A companhia aérea espanhola Iberia recebeu uma sanção administrativa de 25 mil euros (algo em torno de 90 mil reais) do Governo da região das ilhas Baleares (no Mediterrâneo) por submeter a suas candidatas a exames de urina para saber se estariam grávidas antes de contratá-las.

O processo tinha sido instaurado depois de uma inspeção do trabalho ter detetado que as mulheres que concorriam a um posto de trabalho, num processo de recrutamento conduzido pela Randstad, tinham de realizar testes de gravidez. Futuramente, deixará de exigir testes de gravidez às candidatas a um emprego na companhia aérea.

Defendendo a existência de protocolos "muito rigorosos para a proteção" das grávidas, a Ibéria realçou ainda que a ideia dos testes era permitir assegurar "o bem-estar do bebé e da futura mãe".

A companhia ainda pode recorrer da sentença, disse à AFP um porta-voz do governo de Baleares.

"A maternidade não pode ser, sob qualquer justificativa, um obstáculo para o acesso a um posto de trabalho", declarou em entrevista coletiva nesta segunda-feira a ministra espanhola da Saúde, Dolors Montserrat, manifestando seu "repúdio máximo" à prática da Iberia.