Altice diz que Governo não valoriza importância do investimento em Portugal

Postado Julho 21, 2017

"Nós não fazemos política, nós somos industriais", lembrou.

"Há ainda atores que vão intervir nessa decisão, mas não deve haver muitos problemas", referiu aos jornalistas, à margem da inauguração do segundo 'call center' (centro de contacto) da Altice em Vieira do Minho.

À Lusa, o presidente da Câmara de Vieira do Minho, António Cardoso, adiantou que, na fase inicial, este segundo "call center" empregará entre 60 a 100 trabalhadores.

O grupo Altice já havia anunciado, na semana passada, o acordo com a Prisa traduzido na compra da Media Capital SGPS, SA, detentora da TVI, por 440 milhões de euros.

"A Altice investe em Portugal de uma maneira muito importante. Na semana passada aconteceu uma coisa importante aqui em Portugal, mas penso que, muitas vezes, o Governo português não vê essa importância", criticou.

Apesar de se manifestar confiante na concretização do negócio sem muitos problemas, Armando Pereira admitiu que o Governo português "não facilita as coisas" ao grupo francês.

Armando Pereira disse não entender esta oposição ao negócio, mas garantiu que o grupo Altice vai continuar a investir em Portugal.

"Mesmo se às vezes a gente diz para que é que viemos para aqui?" Penso que não gostam de nós. "Porquê? Não sei. Mas vamos continuar", assegurou.

Armando Pereira, um dos quatro sócios fundadores da Altice, detendo 30% da empresa, é natural de Guilhofrei, Vieira do Minho.