Goleiro Bruno vira professor de crianças em Minas Gerais

Postado Agosto 04, 2017

O goleiro Bruno Fernandes de Souza, condenado pela morte de Eliza Samúdio, irá dar aulas de futebol para crianças e adolescentes para reduzir sua pena, após autorização da Justiça.

O ex-jogador, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio, vai trabalhar no Núcleo de Capacitação para a Paz (Nucap). Ele vai ensinar futebol de segunda a sexta-feira para crianças e adolescentes, na cidade de Varginha, em Minas Gerais.

A decisão feita nesta última quarta-feira (2) pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Execuções Penais da cidade e busca a inclusão e ressocialização de presos.

O goleiro não poderá ter acesso à área externa ou pessoas estranhas à organização, exceto familiares. Além de sair do presídio para trabalhar, Bruno também terá remição de sua pena em um dia para cada três dias trabalhados. A cada três meses, a folha de frequência no trabalho deverá ser encaminhada à Justiça. Também participam de atividades como natação e futebol, além de atendimento psicológico e assistência social. "O reeducando deve se inserir em atividades laborativas com o fito de recuperação de sua dignidade", diz o documento. Livre, beneficiado por decisão do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), ele assinou contrato com o Boa Esporte, de Varginha, no Sul de Minas, para onde se mudou com a mulher, Ingrid Calheiros. O goleiro disputou cinco partidas pelo clube de Varginha, pelo Hexagonal Final do Módulo II do Campeonato Mineiro, com duas vitórias, dois empates e uma derrota - ele foi vazado quatro vezes.

A condenação de Bruno ficou dividida da seguinte forma: 17 anos e seis meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.