Temer: Venezuela será recebida de volta quando voltar a ser democracia

Postado Agosto 06, 2017

"A medida compromete a independência do Ministério Público e a preservação das garantias e liberdades fundamentais, confirmando a instauração de um Estado de exceção na Venezuela", informa nota divulgada pelo Itamaraty.

Na manhã deste domingo, o presidente Michel Temer divulgou, em sua conta no Twitter, um vídeo sobre a suspensão da Venezuela pelo Mercosul e disse que o país será recebido "de braços abertos" quando estiver de volta à democracia.

Temer ressaltou que a situação da Venezuela "vem se deteriorando ao longo do tempo" e que a decisão do governo venezuelano de anular os poderes do Parlamento e convocar uma nova Assembleia Constituinte causa preocupação.

No mesmo dia, o Mercosul decidiu suspender a Venezuela do bloco por rompimento da ordem democrática, após a escalada da crise no país e a instalação da Constituinte, convocada por Maduro. Suspensão do bloco era "a medida que se impunha".O presidente da República, Michel Temer, afirmou neste domingo (06/08), ao comentar a situação política na Venezuela, que não há mais espaço para alternativas não democráticas na América do Sul. O presidente brasileiro disse ainda que, se houver mudança de postura da ditadura de Nicolás Maduro, a Venezuela pode ser reinserida no Mercosul. Temer afirmou ainda esperar que a Venezuela encontre um caminho para recomposição da ordem democrática e que o país será recebido de braços abertos em sua volta ao bloco regional. "O Protocolo de Ushuaia, que exige a democracia nos países contratantes, é claríssimo, a plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o processo de integração no Mercosul", afirmou. "Estamos e continuaremos ao lado do povo venezuelano".