Blairo Maggi pagou R$ 3 mi para mudar depoimento, diz delator

Postado Agosto 13, 2017

Desta vez é Blairo Maggi, da Agricultura. O maior telejornal do Brasil conseguiu, com exclusividade, acesso a colaboração de Silval, que até então estava sob absoluto sigilo, decretado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Eles estiveram em uma fazenda em Lucas do Rio Verde para o lançamento da colheita de algodão do estado. "É uma injustiça o que está sendo feito com o ex-governador Blairo Maggi", defendeu. "Blairo Maggi é um homem sério e a população sabe disso, estão buscando prejudicar a imagem dele por meio de mim". Lembra que Blairo saiu em 2010 para disputar o Senado e a vaga não surgiu, nada aconteceu. Só que Blairo e Silval pediram um desconto e o valor da chantagem foi reduzido para R$ 6 milhões.

Silval confessou que sua parte também foi entregue. Segundo o ex-secretário, Zaque teria dito que só aceitaria o depoimento caso pudesse, o próprio magistrado, indicar um advogado.

O ex-secretário de Fazenda do estado, de fato, mudou a versão que contou ao Ministério Público.

Já em janeiro de 2015, após os pagamentos, Éder deu uma entrevista a TV Centro América dizendo que havia mentido no depoimento anterior.

Os três são acusados de participar da tentativa de compra de uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE). "Isto fez com que eu colocasse algumas palavras", declarou na retratação. O acordo do político com a Justiça foi assinado há dois meses com a Procuradoria-Geral da República. Em maio de 2016, o ministro do STF, Dias Toffoli, acabou encerrando as investigações. Agora, as revelações podem levar a novos inquéritos ou até mesmo a reabertura desse caso. A Globo ainda lembrou que Maggi é investigado na "Operação Lava Jato" sob a suspeita de receber R$ 12 milhões em 2006 na sua campanha a reeleição ao Governo de Mato Grosso, de acordo com delatores da construtora Odebrechet. O governo Temer tem dez ministros investigados no Supremo. Porém, valor menor: R$ 6 milhões - R$ 3 milhões para cada um.

Silval garante que Eder revelou o envolvimento de Blairo no esquema para compra de vaga no TCE em depoimento prestado ao Ministério Público Estadual (MPE) em março de 2014. "O ex-governador Silval Barbosa está faltando com a verdade", disse Eder à Folha.

O Jornal Nacional não conseguiu contato com a defesa de Gustavo Capilé. "Silva Barbosa mentiu ao afirmar que fiz tais pagamentos em dinheiro ao Eder Moraes".

Silval também apontou o pagamento de propina ao senador Wellington Fagundes (PR).