Peru ordena expulsão do embaixador em Lima — Venezuela

Postado Agosto 13, 2017

No comunicado divulgado hoje, o governo do Peru reafirmou sua "firme disposição de continuar contribuindo para a restauração da democracia na Venezuela".

Ao fazer o convite, o venezuelano criticou Kuczynski.

Ontem, Trump disse ter "muitas opções para a Venezuela", incluindo uma "opção militar, se for necessário".

O Ministério de Relações Exteriores do Peru informou nesta sexta-feira (11) que decidiu expulsar o embaixador da Venezuela em Lima, Diego Alfredo Molero Bellavia, devido a uma nota de protesto enviada pelo governo venezuelano.

A Declaração de Lima, que condena "a rutura da ordem democrática" na Venezuela e que entende serem "ilegítimos" os atos da recém-eleita Assembleia Constituinte, foi assinada, entre outros, pela Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá e Peru.Composta por 545 membros, todos próximos do Governo de Caracas, a Assembleia Constituinte foi eleita em 30 de julho, numas eleições boicotadas pela oposição que não participou então no processo por considerar que foi convocada de maneira ilegítima. "Foi dado a ele o prazo máximo de cinco dias para deixar o território peruano", disse a nota. A ação diplomática do Peru figura como a mais forte tomada até ao momento por um país da América Latina relativamente à Venezuela. Maduro respondeu expulsando o encarregado de negócios da embaixada peruana na capital venezuelana.