Plano Distrital de Emergência ativado

Postado Agosto 13, 2017

Às 19h00 a proteção civil destacava os incêndios de Cantanhede, Mealhada e Tomar que contravam mais de 700 bombeiros.

O incêndio de Ferreira do Zêzere, distrito de Santarém, que tinha sido dado como dominado, reativou hoje à tarde, sendo que o fogo já entrou na localidade de Beco, informou o presidente da Câmara Municipal.

Em comunicado, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) refere que "atendendo à situação complexa relativa às ocorrências de incêndios rurais no distrito de Coimbra, entendeu a Comissão Distrital de Proteção Civil de Coimbra, na qualidade de órgão de coordenação em matéria de proteção civil distrital, proceder à ativação do Plano Distrital de Emergência e Proteção Civil de Coimbra, com efeito a partir das 18h30 de hoje, 12 de agosto de 2017".

Caso da Quinta da Lamarosa, em Cantanhede, já evacuada "sem incidentes a registar", ou de um lar de idosos além de "alguns habitantes" da aldeia de Barcouço, na Mealhada.

Coimbra ativou o Plano Distrital de Emergência. Também a A8 que liga Lisboa a Leiria está cortada no nó de Torres Vedras devido a um outro incêndio.

De acordo com o autarca, as chamas estão "a aumentar de intensidade" e lavram de forma descontrolada, considerando que "vai ser muito complicado" combater o fogo. A situação já foi entretanto resolvida. Em causa está o reacendimento do fogo em Cantanhede, que aconteceu por volta das 15 horas.

O incêndio em Abrantes era o que mobilizava mais operacionais (543), seguindo-se o de Cantanhede (331), Alvaiázere (245), Ferreira do Zêzere (189) e Pombal (93).

A adjunta nacional confirmou ainda o corte da A14 - Autoestrada do Baixo Mondego, nos dois sentidos, ao quilómetro 32.

De acordo com a página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o incêndio que começou às 14h50 de hoje na localidade de Portunhos tem uma frente ativa em povoamento florestal e estava a ser combatido às 20h50 por 227 operacionais e 61 veículos, apoiados por três meios aéreos.

Quase 600 militares e 116 viaturas estão também a ajudar no combate aos incêndios, em missões de apoio à Proteção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e diversos municípios, anunciou o Exército.