Portugal acciona Mecanismo Europeu de Protecção Civil — Incêndios

Postado Agosto 13, 2017

A ministra, que espera apoios de outros países já a partir de hoje para ajudar no combate aos incêndios, explicou a decisão por "uma questão de prudência", tendo em conta as previsões meteorológicas para os próximos dias.

Fonte do Ministério da Administração Interna afirmou que a governante "chegou cerca das 19h30" à sede da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) e que está "reunida na sala de situação" com o presidente da ANPC, Joaquim Leitão, e com o comandante nacional operacional da Proteção Civil, Rui Esteves.

Depois, acrescentou, as previsões meteorológicas para os próximos três dias "não são animadoras", com ventos de leste e secura extrema.

Constança Urbano de Sousa admitiu que muitos dos actuais incêndios serão debelados na noite deste sábado, mas frisou que por uma "questão de prudência", e considerando as previsões meteorológicas, foi feito o pedido de "módulos aéreos e terrestres".

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, deslocou-se este sábado ao comando da Proteção Civil, em Carnaxide, para se "inteirar do ponto da situação dos incêndios a nível nacional", disse à Lusa fonte oficial.

O mecanismo foi accionado durante o incêndio de Junho em Pedrógão Grande e recentemente também foi accionado por países como a França ou a Itália, lembrou a ministra, acrescentando que também Portugal tem apoiado outros países através do mecanismo.

O mecanismo recorre ainda à reserva comum voluntária de capacidades de resposta à emergência, "disponível para destacamento imediato, como parte de uma intervenção europeia colectiva".

De acordo com o portal "online" da ANPC, pelas 20h30 deste sábadi, havia registo de 22 incêndios rurais em curso no país, mobilizando 2.255 bombeiros, apoiados por 629 veículos terrestres e 21 meios aéreos.