Banqueiro mais poderoso de Wall Street diz que bitcoin é uma "fraude"

Postado Setembro 14, 2017

O fenômeno das criptomoedas, que já movimentam mais de US$ 100 bilhões (R$ 314,2 bilhões) e transformaram o jovem americano Olaf Carlson-Wee em celebridade de Wall Street, nada mais é do que "uma fraude" para um dos homens mais poderosos do mundo, o CEO do banco JPMorgan Chase Jamie Dimon. Em declaração polêmica durante conferência de investidores em Nova Iorque (EUA), o executivo afirmou que o bitcoin é uma fraude e entrará em colapso. "Isto não vai funcionar". "Se você está na Venezuela, no Equador, na Coreia do Norte ou em países assim, ou se você é um traficante, um assassino ou algo do tipo, é melhor negociar em bitcoin do que em dólares dos Estados Unidos", bradou. "Então, pode haver um mercado para isso, mas seria um mercado limitado".

O presidente do JPMorgan vai mais longe e diz que irá dispensar os traders do banco caso descubra que estes andam a optar por esta forma alternativa de investimento. "Seriam dispensados num segundo, por duas razões: É contra as nossas regras e porque são estúpidos, e ambas [as razões] são perigosas". Esta é a primeira vez desde 21 de Agosto que a bitcoin desce a barreira dos 4 mil dólares.

Em pouco tempo o preço da moeda caiu 7% e chegou a valer cerca 3.700 dólares (até o momento em que este artigo estava sendo escrito).