Decisão da S&P traduz "crescente reconhecimento do progresso notável de Portugal" — Centeno

Postado Setembro 17, 2017

A S&P subiu o rating da República portuguesa para o patamar de investimento, no nível BB-/A-3, do anterior BB+B.

Até aqui, a dívida nacional era considerada especulativa.

Com esta revisão em alta para 'BBB-', com perspetiva 'estável', Portugal volta a ter uma notação de investimento, atribuída por uma das três principais agências de 'rating' mundiais. A única agência que, . até aqui, já tinha Portugal neste nível era a DBRS.

"O Governo nunca duvidou que o progresso inequívoco que Portugal fez ao longo dos últimos anos seria reconhecido".

"A decisão da Standard and Poor's traduz o crescente reconhecimento, por parte de agentes institucionais e privados, do progresso notável que Portugal tem vindo a fazer na economia e nas contas públicas".

Centeno sublinha ainda que "a Standard and Poor's baseia a sua decisão no reconhecimento da recente mudança estrutural ocorrida no sector financeiro, na abrangência do crescimento económico, alicerçado numa forte dinâmica de investimento e de exportações, e no controlo da despesa e da dívida pública".

A agência norte-americana espera agora que a economia cresça 2,8% este ano e 2,3% em 2018.

Tal como o ministério das Finanças, também o primeiro-ministro salientou a importância da decisão para melhorar as condições de acesso de Portugal ao mercado de dívida internacional. "Este efeito permitirá a melhoria das condições de financiamento das famílias e empresas portuguesas", diz o documento das Finanças.

Silves, Faro, 15 set (Lusa) - O deputado do PCP Paulo Sá disse hoje que Portugal não pode estar dependente das agências de 'rating' para tomar as opções necessárias para o país e para os portugueses. "Para dar continuidade a esse progresso, o Governo reitera o compromisso de seguir um caminho de equilíbrio das contas públicas e de crescimento sustentável e inclusivo, preservando os sucessos alcançados e aprofundando o esforço reformista orientado para melhorar o potencial de crescimento do país", conclui o comunicado.