Reino Unido aumenta para nível de alerta para "crítico"

Postado Setembro 17, 2017

O rapaz de 18 anos foi preso sábado (16) de manhã na sala de embarque do Porto de Dover, no Sudoeste da Inglaterra, e o outro também no sábado (16) à noite no bairro de Hounslow, perto do aeroporto de Heathrow, em Londres.

A explosão ocorreu dentro de uma das últimas carruagens de uma composição estacionada na estação, e provocou queimaduras nos passageiros que estavam próximos do engenho.

A última vez que as autoridades britânicas decidiram elevar o nível de ameaça a "crítico" foi em maio, após o atentado suicida na Manchester Arena, no norte da Inglaterra.

Autoridades da Reino Unido elevaram o nível de ameaça terrorista ao país de "grave" para "crítico", o que significa que o governo espera que um novo ataque pode ser iminente.

O nível "grave" - o segundo mais alto de uma escala de cinco - significa que um ataque terrorista é altamente provável. Mais de um envolvido O Reino Unido posicionou, neste sábado, centenas de soldados em pontos estratégicos, para que as forças policiais pudessem continuar a buscar os responsáveis pela explosão. Ela também prometeu aumentar a presença da polícia armada e do exército nas ruas e nos meios de transporte público "para proteger a população". O responsável da unidade antiterrorista da Scotland Yard, Mark Rowley, admitiu que possa haver mais de uma pessoa envolvida no ataque, do qual não resultou qualquer morte. A autoria do atentado foi reivindicada pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Nesta sexta-feira, às 8 horas da manhã no horário local, uma bomba foi detonada no metrô de Londres, ferindo 22 pessoas. A explosão havia obrigado as autoridades a fechar a estação. Vizinhos da região foram retirados de suas casas.