Eis o caso em que EUA poderiam atacar primeiro Coreia do Norte

Postado Outubro 12, 2017

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, advertiu que a vontade de Pyongyang é "fazer chover fogo" sobre os Estados Unidos em resposta à retórica bélica do Presidente norte-americano, Donald Trump.

"A atual situação - quando os Estados Unidos recorrem à máxima pressão e sanções, para exorbitar ameaças militares contra a República Popular Democrática da Coreia - não é uma total atmosfera para negociar", disse Ri, de acordo com a TASS.

Ri também afirmou que o programa nuclear norte-coreano é o "precioso fruto da sangrenta luta do povo coreano pela defesa do destino e da soberania do país face à prolongada ameaça nuclear dos imperialistas norte-americanos, e uma valiosa espada justiceira".

Durante suas observações na Assembleia-Geral da ONU realizada no mês passado, Trump ameaçou "destruir totalmente" a Coreia do Norte e zombou do líder do país, o qual ele chamou de "homem foguete".

"Pela sua declaração agressiva e insana na arena da Organização das Nações Unidas, Trump - pode-se dizer - acendeu o pavio da guerra contra nós", teria dito Ri Yong-ho no site em inglês da TASS.

Em sua fala, proferida em setembro, o presidente americano afirmou que irá "destruir totalmente" a Coreia do Norte, caso não tenha outra escolha.

A visita da delegação de jornalistas da Rússia à Coreia do Norte ocorreu pouco depois de um grupo de parlamentares russos ter viajado ao país asiático.

Um deles explicou, após a visita, que as autoridades da Coreia do Norte garantiram estar a preparar o próximo lançamento para testar um novo míssil balístico intercontinental (ICBM) com capacidade para alcançar a costa oeste dos Estados Unidos.