Libertada família que estava refém dos talibã há cinco anos

Postado Outubro 12, 2017

A americana Caitlan Coleman e o marido canadense, Joshua Boyle, tiveram três filhos no cativeiro do Paquistão.

O casal foi raptado pela rede Haqqani (grupo armado aliado dos talibãs e responsáveis por vários ataques contra as forças estrangeiras e locais no Afeganistão) em 2012 quando viajavam pelo território afegão. A criança nasceu já em cativeiro, assim como os outros dois filhos.

A informação da libertação foi inicialmente avançada pelo Exército paquistanês e confirmada entretanto pelos Estados Unidos.

"Ontem (quarta-feira, 11), o Governo americano, em coordenação com o Governo paquistanês, obteve a libertação da família Boyle-Coleman", declarou Trump.

Em comunicado, o exército paquistanês referiu hoje que a operação de libertação, qualificada como "bem-sucedida", contou com a colaboração dos serviços de informação dos Estados Unidos, que conseguiram localizar os reféns que tinham sido transportados entretanto para uma zona tribal no Paquistão (Kurram), perto da fronteira afegã. O casal teve três filhos enquanto esteve cativo.

O presidente dos EUA, Donald Trump, que vem criticando Islamabad duramente, elogiou a cooperação paquistanesa com o governo de seu país na libertação dos reféns, dizendo que ela representou "um momento positivo" nas relações bilaterais. "Todos os reféns foram libertados com segurança e estão sendo repatriados para seu país de origem", afirma o comunicado.

O sucesso da operação "revela importância de compartilhar informação e o compromisso do Paquistão em combater a ameaça terrorista por meio da cooperação das forças contra um inimigo comum", ressaltou o exército paquistanês.

No discurso em questão, Trump apresentou sua estratégia para o Afeganistão e acusou o Paquistão de atuar "muitas vezes como um refúgio para os agentes do caos, da violência e do terror".

Uma família norte-americana foi libertada depois de ter passado cinco anos refém dos talibã no Afeganistão.

Uma fonte da segurança nacional dos Estados Unidos esclareceu que a família ainda não está sob a custódia das autoridades norte-americanas, mas encontra-se num local seguro, não identificado, no Paquistão.

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.