Bradesco vai privilegiar "prata da casa" em escolha de presidente — Trabuco

Postado Outubro 13, 2017

O executivo de 91 anos anunciou ontem (terça-feira, 10) sua renúncia ao cargo e será substituído por Luiz Carlos Trabucco Capi.

- O Conselho sempre foi atento ao seu papel tem procurado se colocar da maneira mais adequada, e é do Conselho que veio a ideia de uma política que seja sempre prudente para a perpetuação do grupo - disse Brandão, completando: - A necessidade de ter um conselho ativo me trouxe a consciência de que a sucessão e novas disposições para o trabalho que preservamos eram prudentes. O desligamento voluntário de Brandão o obrigou a antecipar os planos em quase um ano.

O regulamento do banco proíbe que executivos acumulem cargos na instituição.

"O próximo presidente será egresso do corpo executivo do Bradesco", confirmou Trabuco, que ocupará os dois cargos até março, quando ocorrerá a primeira reunião do conselho após a assembleia de acionistas.

"É uma tradição salutar que os bancos brasileiros adotaram e que reflete a boa governança corporativa".

- Processos sucessórios têm que guardar, não uma tradição, mas uma memória que pesa no futuro da organização.

O novo quadro diretivo do banco será conhecido em março do próximo ano, quando acontece a Assembleia Geral Ordinária da instituição. Porém, para não tomar nenhuma decisão precipitada, ele preferiu alterar a regra que forçaria Trabuco a deixar a Presidência do banco ao completar 65 anos, para prorrogar o mandato do executivo.

Segundo Brandão, a sucessão vinha sendo maturada.

"A prorrogação do mandato de Trabuco foi para que a decisão fosse tomada com tranquilidade", afirmou. Nesse encontro, só deve ser preenchida a vaga que está aberta atualmente.