PF faz busca e apreensão na sede da Caixa em Brasília

Postado Novembro 14, 2017

A Polícia Federal cumpre neste momento dez mandados de busca e apreensão na sede da Caixa Econômica Federal, em Brasília - a sede da PF fica do outro lado da rua. Parte do montante recebido eram distribuídos por essa consultoria para os demais membros da suposta organização criminosa.

Por meio de nota, a Caixa informou que não houve busca e apreensão em suas dependências em decorrência da operação Backbone.

A corporação explicou ainda que estão sendo investigados contratos que somam um valor de aproximadamente R$ 385 milhões.

O grupo é formado por empregados da Caixa, empresários da área de TI e uma empresa de consultoria pertencente a um ex-funcionário da CEF.

Para justificar o acréscimo patrimonial, os empregados da caixa e o sócio administrador da empresa de consultoria lavavam o dinheiro por meio da celebração de contratos de compra e venda de imóveis.

Segundo as investigações da chamada Operação Backbone, empresas de TI contratadas pela Caixa pagavam propina a funcionários por meio da subcontratação da consultoria de um ex-funcionário.

Segundo a PF, empresas de TI repassavam os valores desviados do banco para uma empresa de consultoria por meio de contratos de prestação de serviços, em princípio, inexistentes.

Todo o dinheiro gasto com a Microsoft empalidece frente a um contrato de R$ 518 milhões em três anos com a SAP, através do qual o banco decidiu consolidar 80 sistemas legados usando a aplicação da SAP para core banking. Todos os mandados estão sendo cumpridos em Brasília e os envolvidos irão responder por corrupção ativa, corrupção passiva e organização criminosa.