Bancada do PMDB na Câmara quer fechar questão sobre reforma da Previdência

Postado Dezembro 07, 2017

Quando um partido fecha questão, os parlamentares que não acompanham a decisão da executiva podem ter penalidades, como suspensão de atividades partidárias ou até mesmo expulsão da legenda. O governador Geraldo Alckmin (SP) disse nesta terça-feira, 5, que apoia a proposta, mas que 'fechar questão' depende dos deputados. Nesse caso, porém, não costuma haver punição. "É importante PMDB puxar cordão dos partidos que tem responsabilidade com o futuro", escreveu no Twitter.

Os tucanos informaram que não vão discutir o fechamento de questão sobre a reforma. "O PMDB precisa fechar questão não só pra dar exemplo como para mostrar a importância desse tema", argumentou. Um deles, disse, deve ser o desemprego, que poderá cair de 12% para 8%, de acordo com o peemedebista. "Meu apoio à Previdência não é pela metade, é integral", afirmou o tucano, lembrando que o governo paulista realizou a reforma em 2011. "Fui deputado durante oito anos e nunca teve fechamento de questão". Votar correndo, não. O PSDB, que é a favor da reforma, é contra (votar este ano).

Decreto permite governo aumentar gasto com emendas
Decreto permite ao governo aumentar gasto com emendas

Ele também desconversou ao ser questionado se o partido deverá punir os deputados que votarem contra a reforma. "Acho que, conversando, o DEM terá um número bem grande de parlamentares votando a reforma da Previdência", desconversou. Segundo ele, essa é uma questão a ser definida pela direção do partido. Atualmente, o partido detém a maior bancada na Câmara, com 60 deputados.