Mantega e Foster são denunciados no Rio por prejuízos na Petrobras

Postado Dezembro 07, 2017

O MPF (Ministério Público Federal) no Rio de Janeiro moveu uma ação civil pública contra a ex-presidente da Petrobras Graça Foster, os ex-ministros Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento) e mais 4 pessoas. O processo trata sobre a política de preços da gasolina e do diesel da estatal, que foi utilizada para segurar a inflação entre os anos de 2013 e 2014.

"Isso se deu mesmo o conselho tendo sido alertado pela diretoria da companhia acerca da necessidade de concessão de reajustes e de convergência com os preços internacionais para o equilíbrio econômico-financeiro da estatal e manutenção dos investimentos, inclusive no pré-sal".

Na ação, os procuradores da República afirmam que os acusados atuavam sob orientação do governo federal, que queria controlar a inflação antes das eleições presidenciais de 2014. Na época o atual presidente Michel Temer era candidato a vice-presidente de Dilma.

Segundo argumento do MP, os membros do Conselho de Administração da Petrobras mantiveram uma política de retenção de preços dos combustíveis, mesmo dando prejuízo à empresa, já que o mercado internacional se movimentava de forma contrária. Na primeira reunião pós-eleições o Conselho recomendou o aumento dos preços.