May a caminho de Bruxelas para encontro com Juncker sobre o Brexit

Postado Dezembro 08, 2017

Bruxelas decidiu hoje recomendar aos 27 Estados-membros que se passe à segunda fase das negociações do 'Brexit' (saída do Reino Unido da União Europeia), as futuras relações entre as partes, após terem sido alcançados "progressos suficientes" nos 'dossiês' considerados prioritários na primeira fase das negociações (os termos do 'divórcio'), designadamente direitos dos cidadãos, acordo financeiro e a questão da Irlanda.

A União Europeia e o Reino Unido chegaram a um acordo para passar à próxima fase das negociações sobre o "Brexit", depois de uma intensa noite de negociações.

O chanceler irlandês Simon Conveney celebrou o anúncio de "garantias para todos na ilha da Irlanda, protegendo completamente o Acordo da Sexta-Feira Santa, o processo de paz, a economia de toda a ilha e assegurando que não existirá uma fronteira dura na ilha da Irlanda após o Brexit".

Agora, o texto do novo acordo adopta uma formulação que promete não criar qualquer distinção entre a Irlanda do Norte e o resto do Reino Unido.

O presidente da comissão, Jean Claude- Juncker, e a primeira-ministra britânica informaram na manhã desta sexta-feira (8) que foram feitos "os avanços que eram necessários". A recomendação de Bruxelas para que se iniciem os trabalhos em torno da segunda fase das negociações baseia-se no relatório conjunto acordado pelos negociadores da Comissão e do Governo do Reino Unido, que foi hoje subscrito pela primeira-ministra britânica durante uma reunião, em Bruxelas, com o presidente do executivo comunitário, Jean-Claude Juncker. O negociador-chefe da UE, Michel Barnier, considera que "serão protegidas as opções de vida dos cidadãos da UE que vivem no Reino Unido".

Segundo o 'Telegraph', May afirmou que a negociação sobre o Brexit sofreu "uma boa evolução", após os dois lados cederem.

A respeito dos direitos dos expatriados, tanto os cidadãos europeus que moram no Reino Unido como os britânicos que residem no restante da UE conservarão "os mesmos direitos uma vez que o Reino Unido saia da União", indicou Bruxelas.

Uma tentativa cuidadosamente planejada para mostrar o progresso das negociações do Brexit entrou em colapso no último minuto na segunda-feira, 4, quando o partido da Irlanda do Norte vetou um projeto já acordado com o governo em Dublin.