Facebook vai privilegiar posts de amigos e parentes, notícias terão menos espaço

Postado Janeiro 12, 2018

Através do machine-learning, isto é, da capacidade de o próprio computador aprender novas capacidades, sem a necessidade de ser especificamente programado por um ser-humano, os algoritmos da rede social destacam e arrumam numa nova secção os conteúdos produzidos por fontes com parcerias aprovadas pelo departamento liderado pelo antigo pivot da NBC Campbell Brown.

O Facebook vai dar prioridade no feed a mais publicações de amigos e familiares que o utilizador tenha como 'amigo' e menos aos conteúdos dos meios comunicação, marcas ou empresas.

A partir de agora, segundo o presidente-executivo, Mark Zuckerberg, a rede irá priorizar o conteúdo de amigos e familiares, em detrimento das páginas dcurtidas. Contrariando muitos que consideram a rede social viciante, Mark Zuckerberg espera que as mudanças introduzidas neste ano induzam os usuários a usar menos o Facebook.

"Estou mudando o objetivo das nossas equipes de produtos para concentrarem-se em ajudar os usuários a encontrar conteúdo relevante e criar interações sociais mais significativas", disse Zuckerberg, em uma postagem em seu perfil na rede social. "De fato, as pessoas vão passar menos tempo no Facebook, mas isso nos convém porque tornará o tempo que passam mais precioso e, no final das contas, será bom para nossa atividade".

O Facebook diz ainda que páginas cujos posts não costumam receber muitas reações ou comentários sentirão uma queda maior em seu alcance, mas que aquelas que produzem conteúdo que gere "conversas entre amigos" certamente sentirão menores efeitos.

Outra das possibilidades desta zona da rede social é a emissão de alertas e atualizações de emergência das autoridades locais.

Nada mudou em relação ao "ver primeiro", ou seja, páginas em que você escolher nas suas preferências continuarão no topo do feed.

Mais de uma vez. "A tendência é que o tráfego para os sites de mídia pelo Facebook diminua", afirmou o pesquisador sênior em notícias digitais da Fundação de Imprensa da Coreia, Oh Se-uk. Em 2016, a empresa anunciou que ia favorecer as publicações partilhadas por pessoas que cada usuário conhece, em vez de as compartilhadas por páginas de editoras e outros negócios.