Aneel autoriza Light a aumentar conta de luz em 10,36%

Postado Março 14, 2018

O reajuste médio será de 21,15% para a CPFL Jaguari; para a CPFL Mococa o aumento será de 3,40%; para a CPFL Leste Paulista, de 7,03%; para a CPFL Sul Paulista a elevação será de 7,50%; e para a CPFL Santa Cruz o aumento será de 5,32%. É uma população de 6,6 milhões de pessoas, distribuídas em 66 municípios fluminenses.

Rufino lembrou que, no ano passado, o reajuste da Cemig resultou numa pequena redução tarifária, justamente em razão de efeitos financeiros. "O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais", diz a agência em nota divulgada em seu site.

Também impacta as faturas o repasse aos consumidores de custos com o pagamento de indenizações multibilionárias a empresas de transmissão de energia pela renovação antecipada de seus contratos de concessão em 2013, durante o governo Dilma Rousseff.

A maior parte do aumento nas contas de luz da Enel Rio veio do reajustes nos custos de distribuição que, sozinho, subiu 8,86%.

Neste ano, todo o país pagará mais de R$ 16 bilhões em encargos. Como o Brasil é muito dependente de usinas hidrelétricas, quando chove menos é preciso ligar usinas térmicas para garantir o suprimento.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Annel) aprovou a proposta de aumento médio de 25,87% na tarifa de luz da Cemig.

Na semana passada, a Light e a Enel (antiga Ampla) conseguiram, na Aneel, regras especiais durante a atuação das Forças Armadas no estado, em decorrência dos decretos de intervenção federal e de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). As empresas ficaram livres de compensar consumidor por falta de luz em áreas de operação militar.