Scarpa e Fluminense não chegam a acordo, e Palmeiras segue sem atleta

Postado Abril 17, 2018

Mas a juíza Dalva Macedo resolveu adiar a sentença: ela deu mais 10 dias para as duas partes enviarem provas sobre o processo. - Se (a decisão for) a favor do Fluminense, Scarpa continua com vínculo e é bem-vindo para jogar.

A audiência desta segunda-feira entre Gustavo Scarpa e Fluminense terminou sem desfecho.

Enquanto não pode defender o Palmeiras e também não retorna ao Flu, Scarpa treina em Hortolândia, no interior de São Paulo.

Até lá, a juíza vetou o pedido do atleta de que seu contrato com o Palmeiras voltasse a valer. Quem perder poderá recorrer depois. O jogador e seus advogados, porém, creem que conseguirão vencer na Justiça, tanto que ele, mesmo sem poder usar a Academia de Futebol, não se reapresentou nas Laranjeiras.

Isto fez com que o vínculo de cinco anos com o Palmeiras fosse suspenso, e o contrato com o Fluminense novamente registrado na CBF.

"Tudo depende das partes e conciliarem".

O imbróglio começou no início do ano, quando Scarpa processou o Fluminense por débitos de cerca de R$ 9 milhões referentes a atrasos salariais, FGTS e direitos de imagem. "Nós ouvimos o depoimento do atleta para confirmar que o Fluminense estava desde dezembro acordado para quitar tudo em janeiro, como acabou acontecendo", disse o advogado do tricolor. Um dia depois, porém, o atleta entrou com um mandado de segurança em segunda instância e conseguiu se desvinvular do time carioca. A liminar, porém, foi cassada pelo TRT em 15 de março e referendada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) posteriormente.

Com a camisa da equipe paulista, Scarpa disputou oito partidas e anotou dois gols até ter a liminar que rescindiu o seu contrato derrubada, em março.