"Tiramos o país da maior recessão da história" — Temer

Postado Mai 17, 2018

Contrariado, ele convocou o marqueteiro Elsinho Mouco e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, para acertar os ponteiros da comunicação do governo.

Com a divulgação da frase na internet, o slogan virou piada devido a uma interpretação da frase que poderia dar a entender que o Brasil retrocedeu 20 anos em 2. Na ocasião, assumiu interinamente o governo em decorrência do afastamento da petista Dilma Rousseff, que estava sendo investigada por meio de um processo de impeachment por questões contábeis de governo - "pedaladas fiscais" e edição de decretos sem apreciação do Congresso. A ideia era dizer que em apenas dois anos o país voltara aos trilhos e à retomada do crescimento da economia e da ordem política.

No livreto distribuído à imprensa nesta terça-feira pela Presidência, o governo apresenta "ações e resultados de 2016 a 2018". Na ocasião, Temer fará um pronunciamento enaltecendo o que chama de "legado".

Expedido pelo cerimonial do Planalto, o convite trazia o slogan "O Brasil voltou, 20 anos em 2". Meirelles, por exemplo, recebeu a primeira versão.

Só pelo nome do evento em que Temer fez suas ponderações já dá para se tirar uma base do otimismo do governo federal. "Se engana quem pensa que a reforma da Previdência não será aprovada", disse, ao destacar que o assunto será debatido durante a campanha eleitoral pelos candidatos a mandato eletivo no pleito de outubro. Recheada de gráficos e ilustrações, tem 36 páginas e bate o bumbo sobre "avanços" do governo.

"Nós tínhamos, e eu senti isso desde o primeiro momento, que montar um grupo capaz de vencer a pior recessão da nossa história". Ao fim do discurso, o presidente garantiu que ainda há "muito para se fazer" até dezembro e desafiou: "se em dois anos fizemos tudo isso, em sete meses podemos fazer pelo menos mais um terço".

A letra V de "Avançamos" é apresentada como um "V" de vitória feito com dois dedos por um homem sorridente.

O documento cita o último Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) para enaltecer que o emprego formal aumentou em março de 2018. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.